Bebê nasce com órgão genital a mais nas costas e deixa médicos intrigados

O caso é considerado pela medicina raríssimo.

Um caso inesperado aconteceu em na cidade de Baku no Azerbaijão, onde um bebê nasceu com um órgão genital a mais em suas costas, o caso deixou até os médicos intrigados, mas depois de uma longa série de exames, eles conseguiram descobrir que o órgão pertencia ao irmão gêmeo do bebê que não se desenvolveu.

O caso é considerado raríssimo, mas o mais interessante de tudo foi que o órgão nasceu bem nas costas do bebê e deixou os médicos do Instituto de Pediatria e Estudos Científicos da cidade impressionados.

“Como é possível que apenas isso sobrasse do segundo bebê? Isso é muito assustador”, disse o médico Skromniy Medved a um site de medicina, especializado em casos médicos raros. O bebê foi levado para fazer uma cirurgia para retirada do órgão extra no Instituto de Pediatria e Estudos Científicos de Baku.

“A criança tem um órgão sexual normal”, ressaltou o especialista. As costas do bebê não foram prejudicadas pela cirurgia e o pequeno passa bem.

Os médicos explicaram que casos assim são chamados de gêmeos parasitas, mas são extremamente raros e que isso pode ocorrer por falta de circulação sanguínea adequada para os dois.

Gêmeos parasitas

De acordo com a medicina trata-se de um fenômeno muito complexo, o gêmeo parasita pode acontecer de dois modos diferentes, quando ocorre a morte de um dos fetos dentro da barriga da mãe e o saudável acaba englobando o morto, ou quando um dos fetos não se desenvolve de forma normal, resultando em um ser sem vida, sustentado apenas  pelo outro como um verdadeiro parasita.

Quando isso acontece, o bebê que deveria ser formado de modo normal passa a ter uma forma estranha e deformada que nasce grudada a barriga do outro gêmeo, ou em suas costas, enfim, em qualquer parte do corpo do gêmeo saudável, mas não possui vida.

Trata-se de um pedaço de gente que só sobrevive as custas do gêmeo saudável, por isso o nome gêmeo parasita, mas o problemas é que essa ligação é capaz de causar sérios problemas para a criança saudável por isso os médicos aconselham a que se faça a cirurgia de separação rapidamente como foi no caso do bebê com um órgão a mais.