Exames mostram que acusado de espancar paisagista não tem problemas psiquiátricos

Em depoimento a paisagista disse que Vinícius demonstrou fixação em seu filho lutador.

O estudante de direito Vinícius Serra, de 27 anos, que agrediu a paisagista Elaine Caparroz, de 55 anos, recebeu alta do Hospital Penal Psiquiátrico Roberto Medeiros, onde estava preso preventivamente depois que a última avaliação psiquiátrica mostrou que ele não possui nenhum distúrbio psiquiátrico. Vinícius deverá ser transferido para um presídio comum.

O crime aconteceu no apartamento de Elaine, depois que ela marcou um jantar com o jovem que conheceu pela internet e vinha mantendo contato a oito meses. Elaine compareceu ao IML do Rio para então fazer o exame de corpo de delito para formalizar as provas contra o acusado que irá responder por tentativa de feminicídio. Elaine chegou acompanhada do advogado Evandro Bianor, que comentou a decisão:

— Não acredito em surto. Quem surta não troca nome. Quem surta não tenta se evadir do local. Quem surta não diz que só fala em juízo. Quem surta não deleta a conta no Instagram. Só se for um surto moral — argumenta o advogado de Elaine, no IML.

O depoimento prestado pela paisagista durou mais de duas horas, Elaine informou à polícia que Vinícius demonstrou uma fixação em seu filho, o lutador Rayron Gracie. A paisagista acredita ter sido dopada por Vinícius e informou que começou a perder os sentidos após fazer um brinde com ele. Ao acordar, já começou a ser esmurrada por seu agressor.

A polícia também está trabalhando com a possibilidade de Vinícius ter cometido o crime por vingança. O caso teve uma grande repercussão na internet e também nas mídias e dividiu opiniões de pessoas que disseram que a culpa era de Elaine por colocar um homem que ela não conhecia dentro de seu apartamento, enquanto outros diziam que ninguém vem com rótulo escrito na testa dizendo: esse é bom e esse aqui não.

Durante a sessão de espancamento, Elaine contou aos policiais que chegou a oferecer dinheiro a Vinícius para que ele parasse de agredi-la. “Você quer dinheiro? Eu te dou dinheiro! O que você quer? Para pelo amor de Deus”, implorou Elaine. Vinícius, segundo ela, apenas gritava “Ahhh! Cala a boca! Fica quieta! Vagabunda”, demonstrando muito ódio durante as agressões.