Polícia prendeu quase todos os vereadores de Augustinópolis, no Tocantins

A operação está investigando um esquema de propinas para aprovação de projetos.

A cidade de Augustinópolis, localizada na região norte do Tocantins, amanheceu agitada. Acontece que os vereadores da cidade foram surpreendidos com uma decisão judicial.

Dos 11 vereadores, 10 tiveram a prisão temporária decretada pela justiça. Apenas o presidente da Câmara de Vereadores não teve mandado de prisão, mas foi levado à delegacia para prestar depoimento.

Até as 7h30, a Polícia Civil já havia cumprido 7 dos 10 mandados de prisão. Três vereadores são considerados foragidos da justiça.

Perfídia é o nome da operação que está investigando a cobrança de propina por parte dos vereadores para que eles pudessem aprovar projetos que eram enviados pela prefeitura da cidade.

A operação está sendo realizada em conjunto com o Ministério Público e a Polícia Civil.

No total foram emitidos 14 mandados de busca e apreensão.

As investigações apontam que os vereadores estavam recebendo propina para aprovar projetos. Acredita-se que em média tal esquema movimentava a quantia de R$ 40 mil por mês.

A justiça também determinou que os vereadores serão afastados dos seus cargos por 180 dias e com isso, os suplentes deverão ser nomeados de forma imediata para que ocupem os cargos.

Apenas Cícero Cruz Moutinho, que é o atual presidente da Câmara, ainda não está sendo investigado e continuará ocupando seu cargo normalmente.

Além de Cícero, um servidor do controle interno do município e o secretário de administração de Augustinópolis serão levados para depor.

Os vereadores que tiveram mandados de prisão são:

  • Antônio Silva Feitosa
  • Maria Luisa de Jesus do Nascimento
  • Antônio Barbosa Sousa
  • Antônio José Queiroz dos Santos
  • Edvan Neves Conceição
  • Ozeas Gomes Teixeira
  • Francinildo Lopes Soares
  • Angela Maria Silva Araújo de Oliveira
  • Marcos Pereira de Alencar
  • Wagner Mariano Uchôa Lima

Repercussão na web

Nas redes sociais um grande burburinho começou a acontecer. Os internautas parabenizaram o trabalho do Ministério Público e da Polícia Civil pela eficácia nas investigações.

Muitas pessoas se mostraram revoltadas com a situação e disseram que todos que são realmente culpados devem pagar pelo prejuízo que causaram ao receber propinas da prefeitura.

E você, o que pensa a respeito de tudo isso? Lembre-se de deixar o seu comentário.